Cartas e testemunhos de Conchita

Cartas e testemunhos de Conchita

Aqui pode encontrar algumas das principais cartas e citações que Conchita escreveu, como forma de poder dar o seu testemunho sobre o tipo de vida que devemos todos nós levar, uma vida que encontre o caminho de Jesus, porque só Ele é nosso verdadeiro amigo. Confiemos Nele para tudo.

 

Carta nº1: 26 de Maio, 1972

 

Avé Maria

Queridos apóstolos de Nossa Senhora,

Apesar de estas palavras que vos estou a escrever serem apenas de minha autoria, por favor aceitem-nas com fé e como sendo parte da vontade da Virgem Maria para cada um de nós. Cumpram e façam outros cumprir a mensagem através do vosso exemplo, oração e palavras. Nós estamos perto dos últimos tempos.

As mensagens de Deus para nós, não são apenas coisas para lembrar e admirar. Nós temos de cumpri-las e divulga-las. A colheita é boa, mas o tempo é curto. A unidade dos cristãos é necessária entre os apóstolos de Jesus e Maria . Através disso, vós recebeis mais graças de Deus. Quem procurar Deus, acaba sempre por O encontrar. Uns podem encontrá-Lo na Igreja, tal como podem encontrá-lo num alcoólico, ou num drogado, ou num Padre. Tudo vai depender do amor e da confiança que cada pessoa sente de Deus.  

Queres ser feliz? Então retira-te sozinho perante Deus durante alguns minutos. Coloca-te tu próprio na presença de Deus e da tua alma. Depois com sinceridade, reconhece as tuas faltas. Pede a Deus para que alcances a Sua graça e faz isso todos os dias, com toda a tua força. Depois, vais começar a sentir-te completamente feliz. As tuas faltas são as únicas coisas que te irão fazer sentir-te infeliz e miserável. Por outro lado, nos teus momentos de privacidade com Deus, lembra-te das qualidades que Deus te concebeu.

Utiliza essas qualidades em boas acções e agradece a Deus por teres recebido todas elas. Eu asseguro-te que onde queres que estejas a ler estas linhas, serás feliz. Lembra-te que esta vida é uma jornada que devemos seguir pelo caminho de Cristo. Tu sofres muito? Muito bem, Cristo sofreu antes de ti . Carrega o teu sofrimento com alegria, porque quando tu sofres, Deus está perto de ti. Estás contente? Muito bem.

Isso proporciona-te algum descanso na tua longa caminhada de sofrimento. Tens assim que atingir os teus objectivos desta maneira, caminhando e descansando . Caminhar significa sofrer, e descansar significa todos os momentos de felicidade da tua vida. O objectivo é o céu, a casa do Pai onde Nossa Senhora aguarda-te com os braços abertos para puder receber-te e aceitar-te rapidamente . Ela com o seu coração de Mãe, rapidamente consegue dar-te a felicidade eterna que tanto procuras .

Dá a Deus a tua vontade e pede a Nossa Senhora para que nunca possas fazer nada que seja contra a vontade de Deus. Pede-lhe também para te ensinar a seres feliz e para sorrires no teu sofrimento. Reza por mim .

 

Conchita

 

 

Carta nº2 : carta de Conchita, escrita ao Sacerdote  Padre Alba (S. J.) de Barcelona

(Novembro 1965)

 

 

La Virgen me ha dicho el l de Enero del año 1965, que los Cristianos Católicos, que no pensamos en el outro mundo, en el cielo ni en el infierno, que debemos de pensarlo, y así nuestra vida estará más unida a Cristo, y que debemos de pensar y meditar más en la Pasión de Jesús. Debemos de hacerlo, pero no sólo hacerlo, sino hacer que otros lo hagan. Ya veremos entonces cómo nos sentiremos más a las puertas de la felicidad de Dios; y nuestras Cruces, las aceptaremos con alegría y amor por Dios.

Con mucho cariño para todos . Y en unión de oraciones.

          (Firmado): Conchita González

 

 P. D.: de nada nos sirve el creer en las apariciones, si no cumplimos el mensaje, mejor dicho si no cumplimos con lo de la Santa Madre Iglesia. Como sabemos todos, la Virgen aquí ha dicho lo mismo que en Lourdes y Fátima, no ha dicho ninguna cosa nueva. Y el milagro viene para que cumplamos el mensaje, no importa creer en ellas (en las apariciones) es una gracia que Dios nos hace. Es una gracia que nos la da El (Dios Nuestro Señor). Debemos de pedir mucho, por los hermanos que todavía no conocen a Dios, creo es un deseo de la Virgen. Y también por los que reciben gracias de Dios y de la Virgen, y no se lo agradecen.

 

 

COMEMORAÇÃO DOS 50 ANOS DAS APARIÇÕES DE

NOSSA SENHORA EM GARABANDAL

 

17 de Maio de 2011

Querido Padre Rolando,

 

Uno-me com todos vós na celebração do quinquagésimo aniversário dos acontecimentos de Garabandal. São para mim 50 anos de contemplação daquilo que para mim foi a experiência mais bonita do mundo. Dou graças a Deus por ter feito parte dessa experiência, é impossível conseguir descrever de forma adequada tudo aquilo que ocorreu. No entanto posso dizer que todos esses acontecimentos, têm dado para a minha alma, a garantia segura de fé e esperança. Agradeço-lhe, Padre Rolando, por me conceder a oportunidade de puder reler mais uma vez, para a aldeia de Garabandal, a mensagem de Nossa Senhora:

“ Temos de fazer muitos sacrifícios, muita penitência, visitar o Santíssimo Sacramento com frequência, mas antes temos de ser muito bons e se não o fizermos, virá sobre nós um castigo. A taça está a encher-se e se não mudarmos virá sobre nós um castigo muito grande.”

 

“Em virtude da minha mensagem de 18 de Outubro não ter sido cumprida nem dada ao mundo, advirto-vos, pois, que esta é a última. De inicio, o cálice estava a encher, agora está a transbordar. Muitos cardeais, bispos e sacerdotes estão no caminho da perdição e com eles vão muitas almas. Dá-se cada vez MENOS IMPORTÂNCIA Á EUCARISTIA. Deveis afastar a ira de Deus sobre vós com os vossos esforços. Se Lhe pedirdes perdão com a sinceridade das vossas almas, Ele vos perdoará. Eu, Vossa Mãe, pela intercessão do anjo S. Miguel, quero-vos dizer que vos emendeis. Já estais nos últimos avisos. Amo-vos muito e não quero a vossa condenação. Peçam-nos com sinceridade e nós vos daremos. Deveis sacrificar-vos mais. Pensai na Paixão de Jesus.”

 

Padre Rolando, não há nada de maior importância que eu posso falar, para além da própria mensagem de Nossa Senhora.

 

Em União de Oração,

Conchita 

 

«Deveis falar ao mundo sobre Maria»

 

Após uma locução de Nosso Senhor em 1966, Conchita abandonou o convento de Pamplona onde se preparara para a vida religiosa, e regressou ao mundo para se dedicar ao seu apostolado. Ao longo dos anos, enquanto vivia a sua vocação como mãe e esposa, Conchita obedeceu ao pedido de Nosso Senhor para que «falasse ao mundo sobre Maria». Disse e escreveu palavras de encorajamento e orientação para os apoiantes de Garabandal, e deu entrevistas ocasionais. Acima de tudo, ajudou a espalhar a mensagem a partir do testemunho da sua própria vida. Eis alguns dos relatos de Conchita sobre como cada um de nós pode cumprir a mensagem que Maria transmitiu em Garabandal.

 

Viver e Espalhar a Mensagem

«Vamos agradecer a Deus por nos ter escolhido para ajudarmos os nossos companheiros a encontrar o caminho para a verdadeira paz, cujo destino é a felicidade eterna, através das mensagens que Nossa Mãe nos transmitiu. Rezemos muito, recebamos Jesus na Eucaristia com frequência e façamos penitência, para que Deus, Nosso Senhor, se reflicta nas nossas vidas e sejamos sempre capazes de projectar a Sua Presença.»

«Façam tudo para cumprir e espalhar a sua mensagem, não necessariamente como a mensagem de Garabandal, mas como o desejo da Mãe Abençoada. Rezem, façam penitência e sacrifício, visitem o Santíssimo Sacramento, rezem pelos sacerdotes. Não se preocupem com o tempo. Se não tiverem sido recebidos como Garabandalistas, levem a mensagem como se fosse da Mãe Abençoada, mesmo sem a palavra Garabandal. Pensem na paixão de Jesus. Nestes tempos, o melhor livro que podem ter é a Bíblia. Leiam-na todos os dias.»

Durante e após as aparições, Conchita escreveu palavras de consolo, encorajamento, orientação e instrução, sempre tendo em conta a mensagem que Nossa Senhora lhe transmitiu para todo o mundo. 

«A Virgem quer que a ajudem a converter o mundo e a evitar a ira de Deus sobre nós, pecadores. Ela conta convosco para que, através do vosso exemplo e sacrifício, possam servir de exemplo para os outros ... que não receberam, como vós, as graças para compreender a sua mensagem. Pede-vos que tenham um grande espírito de arrependimento, sacrifício e oração. Sem estas armas, nada poderemos fazer. Não dispomos de muito tempo, mas é o suficiente para escaparmos ao grande castigo e para satisfazermos o Sagrado Coração de Nossa Mãe.»

O Santíssimo Sacramento

«É no Santíssimo Sacramento que encontrareis força suficiente para iniciar a vida que a Virgem vos exige constantemente. Visitem com frequência o Santíssimo Sacramento. Esvaziem os vossos corações das coisas mundanas que vos impedem de escutar Deus.»

«Quero acentuar o facto de que deveis visitar frequentemente o Santo Sacramento. Ele encher-vos-á de graças e de força para que possais levar ao mundo as mensagens de Nossa Mãe, e vivê-las nas vossas vidas quotidianas. A melhor maneira para nos ajudarmos uns aos outros é cada um de nós viver da forma mais perfeita que podermos, e, para o fazermos, Jesus espera por nós no Santíssimo Sacramento para nos dar a luz e a força para continuarmos no caminho da felicidade.»

«Aquilo que mais ofende Nosso Senhor é a indiferença. Quando estamos na igreja, falamos uns com os outros e não pensamos em quem está no tabernáculo. Se o Papa ou o presidente estivessem sentados nesta sala, perderiam tempo a falar comigo ou com outra pessoa? Não, a vossa atenção recairia sobre essa pessoa importante presente. Por razões muito variadas, as pessoas esquecem-se de que Jesus está no altar e no tabernáculo. Temos que acreditar com fé que é Ele. Para além da missa diária, da Comunhão e do rosário, devemos, frequentemente, fazer uma visita a Nosso Senhor nas igrejas onde Ele está só.»

O Sacerdócio

«Nossa Senhora falou-nos do valor de um padre. Comparou-o a um anjo e disse-nos que se virmos um padre e um anjo, deveremos reconhecer primeiro o padre e ajoelharmo-nos diante dele em vez do anjo. Disse que o padre foi consagrado, porque recebeu Jesus Cristo nas suas mãos, e o anjo não.»

«Quero falar sobre os padres a todas as pessoas, porque algo está a correr mal. Existe confusão na Igreja e muitos padres estão a proceder erradamente. O mau exemplo que eles nos dão é derivado da falta de oração e da falta de sacrifício.»

«Rezemos muito pelos padres. Nós próprios somos também culpados por muitos dos padres que se encontram no caminho da perdição, porque não rezamos o suficiente, porque não fazemos sacrifícios e também porque deveríamos dar o exemplo a esses padres que estão consagrados à Virgem Santíssima. Inicialmente, quiseram dar-se a Deus e à Virgem Santíssima, mas não foram capazes de concretizar o seu objectivo porque não tiveram força suficiente nem amigos que os ajudassem. Temos que ajudar esses padres, que podem estar próximos ou longe de nós, para que possam levantar-se e prosseguir o seu percurso.»

 

Obediência ao Papa

«Quero dizer-vos que nesta altura aguardamos por outro guia, o Santo Padre, o qual nos é enviado por Deus. A nossa segurança na nossa religião Católica, Apostólica e Romana depende de seguirmos as palavras do Papa, sucessor de São Pedro. Apoiemo-lo com as nossas orações, sacrifício, fidelidade e obediência.»

«Hoje em dia, temos muitas maneiras de saber o que o Papa diz, como através de revistas e jornais católicos, e devemos ouvi-lo. Não há desculpa para não sabermos o que é necessário. Muitas pessoas não obedecem por variadas razões: ensinamentos confusos, desinformação e, claro, alguns simplesmente não querem saber... Para os Católicos Romanos é muito fácil, seguimos as orientações do Papa.»

 

Deveres diários e sacrifício

«Não sei o que a Virgem quis dizer [quando disse «Mas primeiro temos que ser bons.] Entendo-o como sendo uma vida vivida momento a momento oferecendo tudo a Deus. Vivendo como cristãos da forma como a nossa consciência nos diz... Todos - na sua religião, no seu ambiente, na sua família, no seu trabalho - sabem como ser bons porque, acredito, cada pessoa tem a sua própria consciência e Deus fala com cada uma através dela.»

 

(Quando Conchita era solteira e trabalhava como enfermeira) «[Eu cumpro a mensagem] fazendo o meu trabalho até ao máximo das minhas capacidades. Trato os doentes da forma como devo. Podeis cumprir a mensagem em qualquer lado. Podeis sempre ser bons e louvar Deus.»

(Após o casamento de Conchita) «Não é importante qual a vossa vocação; a mensagem pode ser cumprida em qualquer etapa. Eu posso cumpri-la na minha vida diária. Os sacrifícios da etapa do casamento são um pouco diferentes dos da vida de solteiro, mas os efeitos para a alma são os mesmos. Cada dia ofereço a Deus todas as pequenas coisas.»

 

A Virgem disse a Conchita «Não venho só por ti. Venho por todas os meus filhos, com o desejo de as trazer até junto dos Nossos corações.»

 

«A maternidade em Nova Iorque é difícil, muito difícil - muito mais do que na aldeia, onde tantos ajudam. É difícil, também, porque Patrick tem de trabalhar até tarde porque temos tanta terra para cuidar. As contas são uma grande preocupação; nunca sabemos se nos sobra alguma coisa... Na América, criar filhos é uma tarefa de vinte e quatro horas, e temos de lhes dar todas as coisas [da fé para contrariar as pressões exteriores].»

«Aquilo que daria grande felicidade à Virgem é uma coisa muito difícil para mim, que é viver cada momento do dia fazendo tudo para Deus.»

 

 

 

 

 

Compilado por Irene Dutra

Traduzido para língua portuguesa por Teresa Pinheiro