O simbolismo das àrvores em Garabandal

O simbolismo das àrvores em Garabandal

A história de Garabandal começou com a árvore, macieira, e terminou com a árvore dos " pinos", que em português tem o nome de pinheiro. Tudo isto está relacionado com as duas árvores relacionadas com o Génesis: a macieira, árvore da ciência, do bem e do mal, e o pinheiro símbolo da árvore da vida, e que é vivida em cada natal. Na primeira árvore, as meninas encontraram o Anjo e no pinheiro ficará associado ao futuro grande Milagre que virá para converter o mundo. Em Garabandal, entre estas duas árvores, existe um sinuoso relevo, que faz-nos lembrar a própria história da humanidade e agora as aparições de Garabandal. 

 

 

Quando começaram a aparições, a ciência quis tomar conta do caso. Não encontrou nada! :normalidade psíquica, inexplicável ausência de cansaço físico, fenómenos inexplicáveis... Efectivamente a ciência com a sua explicação de reacções químicas ou com a dissecação neuronal do cérebro humano não pode chegar à leitura de um só pensamento do homem. A ciência foi um instrumento errado para entender o que sucedia em Garabandal.

A verdade exacta estava oculta, por detrás do visível. A aparência suportava algo de insondável que não se podia ver com os olhos do racionalismo, mas necessitava de um olhar espiritual para assim podermos alcança-lo. O núcleo da mensagem não se podia ver pelo lado externo de um êxtase, pelo beliscar às videntes enquanto estavam nesse estado ou assistindo à forma como elas subiam ou desciam a montanha a velocidades surpreendentes sem nunca tropeçar. A mensagem escondia-se por detrás desses aspectos externos, como nos sacramentos da Igreja onde a Graça invisível apoia-se nos sinais visíveis. Neles, por detrás da água natural, da simplicidade do azeite, do pão, do vinho ou das palavras, existe um poder que excede a ciência e a razão.

Quase a maioria das pessoas perante os acontecimentos de Garabandal, evitam analisar o lado espiritual, olham de forma exaustiva para o lado externo e chamativo dos êxtases, sem compreenderem o verdadeiro significado destes acontecimentos. Poucos são aqueles que falam sobre aquilo que Nossa Senhora ensinou, como uma Mãe amorosa às suas filhas pequeninas: obedecer aos seus pais, valorizar o valor das alianças matrimoniais, sinal de aliança indissolúvel, ter modéstia no vestir e nos adornos exteriores, distinguir entre jogos sãos e actividades ou lugares inadequados para o espírito, viver uma vida espiritual prática entrelaçada ligada com as obrigações de assistir à escola e em colaborar nas fainas do campo, sem nunca esquecermos de santificarmos o dia, praticar com frequência os sacramentos, rezar diariamente e pausadamente o Santo Rosário, fazer pequenos sacrifícios, visitar o Santíssimo Sacramento, levar connosco objectos piedosos que elevem o pensamento a Deus, orar pelos antepassados que já faleceram, etc. Todas estes ensinamentos verdadeiramente importantes não contribuíram em nada para os relatórios da ciência médica que estudaram o assunto.

As ferramentas racionalistas tão pouco entenderam a mensagem profética perfeitamente inserida no plano da Redenção que são expostas nas Sagradas Escrituras. A macieira e o pinheiro transmitem mensagens bíblicas simples que maioritariamente não se soube captar. No entanto, a Virgem sempre insistiu às meninas que os incrédulos, no momento oportuno, acreditarão.

 Esse momento oportuno em que acreditarão coincide com o ponto central profetizado em Garabandal, o grande Milagre, cujo objectivo é converter todo o mundo, não apenas a Rússia. O Milagre fará com que todos acreditem, embora não seeja seguro que todos os homens se convertam.  

A partir do acontecimento crucial do grande Milagre de Garabandal, o maior Milagre na história depois da Ressurreição de Jesus Cristo, começará o desenlace final do Plano da Redenção, a batalha dos últimos tempos que se concluirá com a grande derrota do Dragão (mal) e dos seus anjos.