Igrejas sem tabernáculos, é possível?

Igrejas sem tabernáculos, é possível?

 

IGREJAS SEM TABERNÁCULOS, É POSSÍVEL?

 


Como uma Mãe sensata, Nossa Senhora em Garabandal conduziu-nos de forma gradual e com muita suavidade, para a totalidade da sua mensagem. Ela começou por alimentar-nos apenas com “leite”, só depois mais tarde alimentou-nos com “comida” que era mais difícil de digerir. A sua primeira mensagem de 1961 era tão simples que as pessoas ficaram grandemente desapontadas. Por outro lado, a sua mensagem de 1965 chocou-os a todos de tal forma que tiveram dificuldade em aceitá-la.


Nós encontramos este contraste entre as duas mensagens Eucarísticas de Garabandal. Em 1961, Nossa Senhora simplesmente falou sobre a necessidade de visitarmos o Santíssimo Sacramento. Até aqui nada de complicado. Mas quando Ela disse em 1965 a respeito da existência de maus Cardeais, Bispos e Sacerdotes, que eram ministros da Eucaristia, e sobre o anúncio em que “ cada vez é dada menos importância à Eucaristia”, já se tornou num assunto mais sério e delicado.


O que Ela queria dizer com esta afirmação? Uma das coisas que Ela queria realmente aludir-nos era a respeito dos novos ensinamentos teológicos em relação à Eucaristia, ensinamentos esses que começaram a aparecer em revistas, livros, em meados dos anos 60 e que tanto incomodaram o Papa ao ponto de ele publicar uma encíclica sobre a Eucaristia com o nome de “Mysterium Fidei”. Nesse documento ele reafirmou a nossa fé e os ensinamentos tradicionais associados a este importante Dogma. Isto desagradou a alguns teólogos que criticaram esta encíclica do Papa, enfraquecendo desta forma a sua autoridade como chefe da Igreja.

Uma das modernas teorias sobre a Eucaristia, faz-nos acreditar que Jesus não está presente no pão consagrado depois do momento da consagração. Se Jesus não está lá presente, então por que razão deixamos o pão no tabernáculo? E porque razão temos afinal tabernáculos nas nossas Igrejas?

 

Este novo e pouco ortodoxo ensinamento afectou e perturbou muitos sacerdotes, mais do que aquilo que os cristãos se aperceberam na realidade. Será que é completamente irreal dizer que um dia pode muito bem vir a acontecer que alguns sacerdotes não mais mantenham o Santíssimo Sacramento no Sacrário da sua Igreja ou até mesmo removê-lo definitivamente? Quem se atreveria a prever que o dia aconteceria que um sacerdote rasgasse um rosário no púlpito? E isso já aconteceu.


Rezem e ofereçam sacrifícios pelos sacerdotes que estão actualmente a serem torturados com dúvidas acerca da Eucaristia, por causa desses novos ensinamentos. Rezem muito e ofereçam sacrifícios para que nunca aconteça o tempo em que os tabernáculos ficarão vazios ou então que as Igrejas fiquem de forma permanente sem tabernáculos.

 

Traduzido para português pelo apostolado de Garabandal em língua portuguesa

Edições 2013