A realização do Concílio Vaticano II

A realização do Concílio Vaticano II

Quando em 1961 começaram a aparições de Garabandal , a imagem da Igreja para a sociedade era a de uma entidade mundial florescente. O Papa João XXIII tinha anunciado a 25 de Janeiro de 1959 a celebração de um grande concílio ecuménico, Concílio Vaticano II,  e as hierarquias da Igreja focalizaram todo o seu tempo na preparação deste tão importante evento eclesiástico.  O Concílio foi iniciado a 11 de Outubro de 1961 e teve o seu término a 8 de Dezembro de 1965. As aparições de Nossa Senhora em Garabandal coincidem perfeitamente no tempo deste grandioso concílio da Igreja. Será coincidência? Claramente que não. É mais uma vez a funcionar a divina providência. A imagem do impressionante Concílio que em 1962 transformou o mundo, com mais de 2.000 bispos , coberto de ornamentos sagrados, encheu a Basílica de São Pedro , foi um ícone que reflectiu perfeitamente a grandeza da instituição naquela época. Em Espanha , os assuntos eclesiásticos andavam de vento em poupa.  Os centros de seminários diocesano, transbordavam de sacerdotes, totalizando mais de 23.000 seminaristas .  O País Basco, que foi uma referência em termos de vocações, e que ajudou a colocar muitos missionários por todo o mundo, tem agora apenas 18 seminaristas.  Todas as instituições religiosas naquela época viviam um florescimento de vocações, ao contrário dos dias de hoje  estatuto social dos sacerdotes e religiosos era muito elevado entre os quais os jesuítas, considerados fiéis guardiões da doutrina e da moral.

 

Ao aparecer Nossa Senhora em Garabandal (por mais de 2000 vezes) neste tempo, quis desta forma dizer-nos que estava preocupada por tudo aquilo que poderia acontecer à Igreja daquele tempo para a frente. As reformas do Concílio Vaticano II tinham uma justificação plausível, no entanto houve alguns elementos dessa mesma Igreja que se aproveitaram dessa mesma reforma para se distanciarem da verdadeira doutrina da Igreja. Desta forma, criaram-se pequenos grupos de discórdia dentro da Igreja em relação a determinados assuntos. Como consequência, a Eucaristia deixou de ter a importância que tinha há uns anos atrás. Houve por parte de alguns grupos da Igreja, uma extrema preocupação em “ modernizar” a Igreja e os seus ensinamentos, desta forma, alguns dos conceitos fundamentais dessa doutrina deixaram de ser tocados, por serem demasiado incomodativos ou “antiquados”. Esta era a preocupação de Nossa Senhora, quando apareceu em Garabandal no tempo deste Concílio. Ela tinha preocupação pela vida dos seus filhos predilectos, os sacerdotes. E com toda a razão, porque um sacerdote tem uma responsabilidade acrescida pelo facto de ser sacerdote. Se ele não levar uma conduta séria na sua vida sacerdotal, muitas almas se perderão também e desta forma se afastarão de Deus. Jesus institui o sacerdócio na Quinta-feira Santa, e deu poderes aos sacerdotes para darem testemunho vivo de Dele na Terra a todos os habitantes deste planeta.

 

No entanto, existe o outro lado positivo. O Concílio Vaticano II, foi dos Concílios que mais falou sobre a Mãe de Deus, sobre o seu papel primordial da Mãe de Jesus no papel da Salvação. Por outro lado, foi neste Concílio que se debateu de forma objectiva qual seria o objectivo principal da Igreja para os próximos tempos, no que respeita à unidade de todos os cristãos. Neste ponto, este Concílio foi claro. Há uma vontade e necessidade de se juntar novamente todos os cristãos, Quase no fim do Concílio, Nossa Senhora expressou a uma das videntes que estava muito feliz com o término deste Concilio, e disse que muitos dos pontos que foram discutido neste Concílio, seriam importantes para o futuro. Considerando as minhas observações pessoais em relação a este assunto, posso dizer que haverá certamente uma ligação à futura união de todas as igrejas. Ao longo dos quatro anos das aparições, Nossa Senhora focalizou várias vezes esse assunto, na qual num futuro longínquo, as Igrejas voltariam a unificar-se.

 

Em conclusão, a coincidência do Concílio Vaticano II com as aparições de Garabandal demonstram que ambos estavam relacionados. Nossa Senhora demonstrou ter para com todos nós, uma enorme preocupação pelo futuro da humanidade, e em especial pelo futuro da Igreja na qual os sacerdotes têm um papel primordial. É preciso não esquecer que são os sacerdotes que realizam a Santa Missa, são os sacerdotes que realizam a Consagração do pão e do vinho no Corpo e no Sangue de Jesus Cristo tão real e perfeitamente como Ele está no Céu.