Pode resumir-nos o que se sabe acerca do Terceiro Segredo?

21-09-2016 13:09

Recapitulando, sabemos que o Terceiro Segredo se debruça sobre o minar da Fé Católica por um terço do clero no nosso tempo. E sabemos isto porque:

 

- Nossa Senhora de Fátima, em 1917, disse no Seu Segredo que a Fé seria minada. 

- O Papa João Paulo II, em 1982, disse que a Fé seria minada, e disse-nos indirectamente que o Terceiro Segredo se refere a este minar da Fé. 

- O Cardeal Ratzinger, em 1984, disse-nos que o Terceiro Segredo fala de “perigos que ameaçam a fé e a vida do Cristão, e, consequentemente, do mundo.” 

João Paulo II, em Maio de 2000, referiu-se à profecia bíblica em Apocalipse, Capítulo 12, versículos 3 e 4, onde se lê que “um terço das estrelas do céu” são varridas para a terra pelo dragão. O Papa deu a entender que esta profecia é para o nosso tempo, implicando desta maneira (considerando outros factos que conhecemos sobre o Terceiro Segredo) que a profecia do Terceiro Segredo se refere à Fé estar a ser minada por um terço do clero católico nos nossos dias. 

 

 E um terço do Clero católico está a minar a Fé Católica nos nossos dias, pondo os dogmas gradualmente de parte. Embora isto não seja notado a curto prazo por muitos, podemos hoje ver que tem sido feito pela promoção de práticas anticatólicas (isto é, hetero-praxis). Hoje a Fé também está a ser minada abertamente (como alguns Cardeais estão a fazer), ao dizer-se que alguns dogmas — algumas definições solenes — da Fé Católica “precisam de ser revistos”. 

 

Pelo comentário do Papa sobre “um terço das estrelas do céu” a ser varrido pelo dragão, ele estava a dizer-nos que se trata de um terço do Clero católico nos nossos dias — hoje! E sabemos, é claro, pelos trabalhos de Frère Michel e do Padre Alonso, que estamos a viver no tempo do Terceiro Segredo. Assim, o Terceiro Segredo fala do nosso tempo — o ano 2001. Sabemos quando se concretizará o Terceiro Segredo, a profecia que foi dada em 1917. Começou em 1960 e continua até aos nossos dias. E sabemos quando o período do Terceiro Segredo há-de terminar — continuará até que o Papa faça a Consagração da Rússia. O que ainda não foi feito. (Já explicámos isto muitas vezes em várias ocasiões.)

 

Também sabemos que o Terceiro Segredo se refere ao dogma da Fé, porque temos a terceira parte do Segredo, que começa com as seguintes palavras que Nossa Senhora disse: “Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé, etc.”

 

Resumindo, estamos a viver no período do Terceiro Segredo; o Terceiro Segredo diz-nos que o dogma da Fé não será conservado em certas partes do mundo que, em 1960, ainda eram católicas; sabemos como conservar o dogma da Fé, crendo nas definições infalíveis; sabemos que a Fé está a ser minada na Igreja a partir de dentro; sabemos que a Fé está a ser minada por um terço do clero católico, entre outros; e sabemos a que clero devemos estar atentos — são os clérigos que não crêem nas definições solenes da Fé Católica e os que promovem hetero-praxis. Tanto o Papa Paulo VI como o Papa João Paulo II nos deram a entender que as aparições de Nossa Senhora de Fátima são o cumprimento da profecia bíblica do Capítulo 12, versículo 1 do Apocalipse. Lemos isto na encíclica Signum magnum do Papa Paulo VI em 1967. Encontramos isto também na homilia feita pelo Papa João Paulo II na beatificação dos dois pastorinhos em 13 de Maio de 2000.

 

Sabemos que o Terceiro Segredo se refere aos perigos para a Fé — o Cardeal Ratzinger disse-o em 1984: refere-se aos perigos para a Fé e à vida do Cristão; refere-se à importância das últimas coisas (i novissimi); e encontra-se nas Sagradas Escrituras.12 Em 1982, o Papa João Paulo II disse, como já anteriormente citei: “Pode a Mãe, com toda a força do amor que tem no Espírito Santo e que deseja a salvação de todos, pode Ela manter-se em silêncio quando vê a própria base da salvação dos Seus filhos minada?” Isto é obviamente uma referência ao facto de a Fé estar em perigo. E depois, em 13 de Maio de 2000, o Papa João Paulo II disse que o Terceiro Segredo está no

 

Capítulo 12, versículos 1, 3 e 4 do Apocalipse (os versículos 3 e 4 falam do combate apocalíptico entre o dragão e a Mulher, e que o dragão consegue varrer do céu um terço do clero para o seguir). 

 

Durante séculos, Santa Rita de Cássia (1381-1457) foi chamada “a Santa dos Impossíveis” devido às suas surpreendentes respostas às orações, além dos acontecimentos notáveis da sua vida. À medida que continuamos a encontrar obstáculos que impedem a concretização do pedido de Nossa Senhora de Fátima, rezemos a Santa Rita, pedindo-lhe a sua intercessão e assistência. 

 

Também sabemos que o Terceiro Segredo se refere aos perigos para a Fé (vindos de dentro das estruturas da Igreja), porque o Cardeal Ottaviani aprovou em privado a divulgação da versão do Terceiro Segredo que foi publicada em Neues Europa em 1963, e que nos diz que “Cardeais estarão contra Cardeais e Bispos contra Bispos “. Temos as declarações do Bispo D. Alberto Cosme do Amaral — terceiro Bispo de Fátima — em Viena em 10 de Setembro de 1984, dizendo-nos que trata da apostasia das nações. A apostasia acontece, evidentemente, com a perda da Fé — não a perda de só um dogma ou artigo da Fé, mas antes a perda de todos ou muitos dogmas católicos e da moral. Podemos ver com facilidade a presença evidente da apostasia no mundo de hoje.

 

Assim, o Terceiro Segredo refere-se às definições infalíveis da Fé. As definições, pela sua natureza, têm que dizer o que é a verdade e, portanto, por estrita implicação lógica, o que é o erro, e, além disso, condenar o erro. Se uma pessoa se agarra teimosamente a um erro condenado, depois de ter sido informada da verdade infalível de que não se pode salvar (a não ser que se arrependa antes de morrer), é uma obra de caridade avisá-la. E é nosso dever dar testemunho das verdades da nossa Fé e proteger os simples dos erros contra a Fé, defendendo publicamente a Fé. É por isso que a Igreja anatematiza aqueles erros e os clérigos e leigos que teimam em aderir a eles. S. Paulo disse caridosamente: “ Se eu, ou um anjo do céu, ou quem quer que seja ensinar uma doutrina diferente da doutrina que lhes ensinei, seja anátema.” [Gal. 1:8]