Meditações de João Paulo II sobre Nossa Senhora

03-09-2010 01:30

 

1. "O anúncio de Simeão aparece como um segundo anúncio a Maria, pois indica-lhe a concreta dimensão histórica na qual o Filho cumprirá a sua missão, isso é, na incompreensão e na dor".

2. "O dogma da maternidade divina de Maria foi para o Concílio de Éfeso e é para a Igreja como um selo do dogma da Encarnação na qual o Verbo assume realmente a unidade da sua pessoa a natureza humana, sem anula-la"

3. "Maria é 'cheia de graça', porque a Encarnação do Verbo, a união hipostática do Filho de Deus com a natureza humana, realiza-se e cumpre-se prescisamente Nela"

4. "O ir ao encontro das necessidades do homem significa, ao mesmo tempo, a sua introdução no raio de açcão da missão messiânica e do poder salvador de Cristo.  Por conseguinte, sucede uma mediação:  Maria  põe-se entre o seu Filho e os homens na realidade das suas privações, indigências e sofrimentos.  Põe-se "no meio", ou seja faz-se mediadora, não como uma pessoa desconhecida, senão no seu papel de mãe, consciente de que como tal pode - melhor "tem o direito de" - fazer presente ao Filho, as necessidades dos homens"

5. "A Mãe de Cristo apresenta-se diante dos homens como porta-voz da vontade do Filho, indicadora daquelas exigências que devem cumprir-se para que possa ser manifestado o poder salvador do Messías".

6. "Em Caná, graças  à intercessão de Maria e à obediência dos criados, Jesus começa a sua hora”.

7. "Em Caná, Maria aparece como a que crê em Jesus, e a sua fé provoca o primeiro "sinal" e contribui para o despertar da fé nos discípulos "

8. "A missão maternal de Maria aos homens de nenhuma maneira escurece nem diminui esta única mediação de Cristo, pelo contrário, mostra a sua eficácia.  Esta função maternal brota, segundo o privilégio de Deus, da sobre-abundancia dos méritos de Cristo... Dela depende totalmente e da mesma sai toda a Sua virtude."

9. "Esta nova maternidade de Maria, gerada pela fé, é fruto do 'novo' amor, que amadurecido Nela definitivamente junto à Cruz,  através da sua participação no amor redentor do Filho." 

10. “Deste-nos a tua Mãe como sendo nossa, para que nos ensines a meditar e a adorar no coração.  Ela, recebendo a Palavra e colocando-a em prática, fez-se a mais perfeita Mãe.”