Meditações de Conchita sobre os ensinamentos de Nossa Senhora

10-10-2010 22:09

   

«Deveis falar ao mundo sobre Maria»

 

Após uma locução de Nosso Senhor a Conchita em 1966, Conchita abandonou o convento de Pamplona onde se preparara para a vida religiosa, e regressou ao mundo para se dedicar ao seu apostolado. Ao longo dos anos, enquanto vivia a sua vocação como mãe e esposa, Conchita obedeceu ao pedido de Nosso Senhor para que «falasse ao mundo sobre Maria».

 

 

 

Conchita, uma das videntes de Garabandal, disse e escreveu palavras de encorajamento e orientação para todos os apoiantes de Garabandal, e deu entrevistas ocasionais. Acima de tudo, ajudou a espalhar a mensagem a partir do testemunho da sua própria vida. Eis alguns dos relatos de Conchita sobre como cada um de nós pode cumprir a mensagem que Maria transmitiu em Garabandal.

 

Viver e Espalhar a Mensagem

 

«Vamos agradecer a Deus por nos ter escolhido para ajudarmos os nossos companheiros a encontrar o caminho para a verdadeira paz, cujo destino é a felicidade eterna, através das mensagens que Nossa Mãe nos transmitiu. Rezemos muito, recebamos Jesus na Eucaristia com frequência e façamos penitência, para que Deus, Nosso Senhor, se reflicta nas nossas vidas e sejamos sempre capazes de projectar a Sua Presença.»

«Façam tudo para cumprir e espalhar a sua mensagem, não necessariamente como a mensagem de Garabandal, mas como o desejo da Mãe Abençoada. Rezem, façam penitência e sacrifício, visitem o Santíssimo Sacramento, rezem pelos sacerdotes. Não se preocupem com o tempo. Se não tiverem sido recebidos como Garabandalistas, levem a mensagem como se fosse da Mãe Abençoada, mesmo sem a palavra Garabandal. Pensem na paixão de Jesus. Nestes tempos, o melhor livro que podem ter é a Bíblia. Leiam-na todos os dias.»

 

Durante e após as aparições, Conchita escreveu palavras de consolo, encorajamento, orientação e instrução, sempre tendo em conta a mensagem que Nossa Senhora lhe transmitiu para todo o mundo. 

«A Virgem quer que A ajudem a converter o mundo e a evitar a ira de Deus sobre nós, pecadores. Ela conta convosco para que, através do vosso exemplo e sacrifício, possam servir de exemplo para os outros ... que não receberam, como vós, as graças para compreender a sua mensagem. Pede-vos que tenham um grande espírito de arrependimento, sacrifício e oração. Sem estas armas, nada poderemos fazer. Não dispomos de muito tempo, mas é o suficiente para escaparmos ao grande castigo e para satisfazermos o Sagrado Coração de Nossa Mãe.»

 

O Santíssimo Sacramento

 

«É no Santíssimo Sacramento que encontrareis força suficiente para iniciar a vida que a Virgem vos exige constantemente. Visitem com frequência o Santíssimo Sacramento. Esvaziem os vossos corações das coisas mundanas que vos impedem de escutar Deus.»

«Quero acentuar o facto de que deveis visitar frequentemente o Santo Sacramento. Ele encher-vos-á de graças e de força para que possais levar ao mundo as mensagens de Nossa Mãe, e vivê-las nas vossas vidas quotidianas. A melhor maneira para nos ajudarmos uns aos outros é cada um de nós viver da forma mais perfeita que podermos, e, para o fazermos, Jesus espera por nós no Santíssimo Sacramento para nos dar a luz e a força para continuarmos no caminho da felicidade.»

«Aquilo que mais ofende Nosso Senhor é a indiferença. Quando estamos na igreja, falamos uns com os outros e não pensamos em quem está no tabernáculo. Se o Papa ou o presidente estivessem sentados nesta sala, perderiam tempo a falar comigo ou com outra pessoa? Não, a vossa atenção recairia sobre essa pessoa importante presente. Por razões muito variadas, as pessoas esquecem-se de que Jesus está no altar e no tabernáculo. Temos que acreditar com fé que é Ele. Para além da missa diária, da Comunhão e do rosário, devemos, frequentemente, fazer uma visita a Nosso Senhor nas igrejas onde Ele está só.»

 

O Sacerdócio

 

 

«Nossa Senhora falou-nos do valor de um padre. Comparou-o a um anjo e disse-nos que se virmos um padre e um anjo, deveremos reconhecer primeiro o padre e ajoelharmo-nos diante dele em vez do anjo. Disse que o padre foi consagrado, porque recebeu Jesus Cristo nas suas mãos, e o anjo não.»

«Quero falar sobre os padres a todas as pessoas, porque algo está a correr mal. Existe confusão na Igreja e muitos padres estão a proceder erradamente. O mau exemplo que eles nos dão é derivado da falta de oração e da falta de sacrifício.»

«Rezemos muito pelos padres. Nós próprios somos também culpados por muitos dos padres que se encontram no caminho da perdição, porque não rezamos o suficiente, porque não fazemos sacrifícios e também porque deveríamos dar o exemplo a esses padres que estão consagrados à Virgem Santíssima. Inicialmente, quiseram dar-se a Deus e à Virgem Santíssima, mas não foram capazes de concretizar o seu objectivo porque não tiveram força suficiente nem amigos que os ajudassem. Temos que ajudar esses padres, que podem estar próximos ou longe de nós, para que possam levantar-se e prosseguir o seu percurso.»

 

 

Obediência ao Papa

 

«Quero dizer-vos que nesta altura aguardamos por outro guia, o Santo Padre, o qual nos é enviado por Deus. A nossa segurança na nossa religião Católica, Apostólica e Romana depende de seguirmos as palavras do Papa, sucessor de São Pedro. Apoiemo-lo com as nossas orações, sacrifício, fidelidade e obediência.»

«Hoje em dia, temos muitas maneiras de saber o que o Papa diz, como através de revistas e jornais católicos, e devemos ouvi-lo. Não há desculpa para não sabermos o que é necessário. Muitas pessoas não obedecem por variadas razões: ensinamentos confusos, desinformação e, claro, alguns simplesmente não querem saber... Para os Católicos Romanos é muito fácil, seguimos as orientações do Papa.»

 

Deveres diários e sacrifício

 

«Não sei o que a Virgem quis dizer [quando disse «Mas primeiro temos que ser bons.] Entendo-o como sendo uma vida vivida momento a momento oferecendo tudo a Deus. Vivendo como cristãos da forma como a nossa consciência nos diz... Todos - na sua religião, no seu ambiente, na sua família, no seu trabalho - sabem como ser bons porque, acredito, cada pessoa tem a sua própria consciência e Deus fala com cada uma através dela.»

  

(Quando Conchita era solteira e trabalhava como enfermeira) «[Eu cumpro a mensagem] fazendo o meu trabalho até ao máximo das minhas capacidades. Trato os doentes da forma como devo. Podeis cumprir a mensagem em qualquer lado. Podeis sempre ser bons e louvar Deus.»

(Após o casamento de Conchita) «Não é importante qual a vossa vocação; a mensagem pode ser cumprida em qualquer etapa. Eu posso cumpri-la na minha vida diária. Os sacrifícios da etapa do casamento são um pouco diferentes dos da vida de solteiro, mas os efeitos para a alma são os mesmos. Cada dia ofereço a Deus todas as pequenas coisas.»

 

A Virgem disse a Conchita «Não venho só por ti. Venho por todas os meus filhos, com o desejo de as trazer até junto dos Nossos corações.»

  

«A maternidade em Nova Iorque é difícil, muito difícil - muito mais do que na aldeia, onde tantos ajudam. É difícil, também, porque Patrick tem de trabalhar até tarde porque temos tanta coisa para cuidar. As contas são uma grande preocupação; nunca sabemos se nos sobra alguma coisa... Na América, criar filhos é uma tarefa de vinte e quatro horas, e temos de lhes dar todas as coisas [da fé para contrariar as pressões exteriores].»

 

 «Aquilo que daria grande felicidade à Virgem é uma coisa muito difícil para mim, que é viver cada momento do dia fazendo tudo para Deus.»

 

 Se pretender descarregar este ficheiro, por favor clique aqui.

  

 

 

Compilado por Irene Dutra

Traduzido para língua portuguesa por Teresa Pinheiro ( amiga de Garabandal)