Fenómenos sobrenaturais: as quedas e as caminhadas êxtácticas

10-03-2011 15:00

 

OS FENÓMENOS OCORRIDOS EM GARABANDAL

 

As jovens sabiam quando as visões iriam acontecer, por uma série de três chamadas (luminações) cada uma mais forte do que a outra. Após a terceira chamada, elas corriam para o lugar recluso, onde se deram as primeiras visões: ali prostrando-se de joelhos nas rochas ásperas pontiagudas, entravam em transe extático sobrenatural. As suas cabeças derreavam para trás, as pupilas dos olhos dilatavam-se, as suas faces perladas de suor com impressionante expressão angélica. Mantinham-se, assim nesta posição durante algumas horas, sem entretanto demonstrarem sinais de esforço muscular e de fadiga. Assim ficavam insensíveis a picadelas de alfinetes, queimaduras com fósforos e contactos físicos. Mesmo quando, de noite, durante as visões, holofotes ofuscantes eram centrados sobre as faces das jovens, as suas pupilas permaneciam imóveis e dilatadas. Durante tais transes o peso das jovenzinhas ficava tão excessivo que dois homens adultos tinham dificuldade em levantar uma jovem de 12 anos. No entanto elas  levantavam-se, umas as outras, com a maior facilidade, para oferecerem um beijo a SSma. Virgem.

 

Quedas extácticas

Conforme as aparições iam continuando, um novo fenómeno começou a ocorrer : a Queda Extática. Apenas em êxtase, quer de joelhos ou em pé, as jovens caiam para trás, ficando esticadas no chão. Nunca se magoaram com isto, nem as suas vestes jamais ficaram imodestas, emaranhadas ou inconvenientes. Mantinham-se assim em êxtase, em posição horizontal e sem usarem das mãos para se recomporem, voltando depois à posição original, de joelhos ou de pé. Quando duas ou mais das jovens, em êxtase, caíam juntas, os seus movimentos eram perfeitamente sincronizados. Uma testemunha, Canon Júlio Porro Cardenoso, disse que era idêntico ao lançar de um jacto de luz dentro de um grande salão de conferência onde todas as luzes se apagassem simultaneamente. Quando as meninas jaziam ao chão, após uma queda extática, a posição dos seus corpos ressaltava algo como um sinal sobrenatural, e muitos espectadores descreveram como magnificas "esculturas".

 

Marchas  extàctcas 

Outra característica excepcional das aparições, sobrevinda quase ao mesmo tempo da queda extática, é a MARCHA EXTÁTICA. De cabeças decaídas para trás, de uma maneira característica e sem verem para onde iriam, as meninas marchavam de braços dados para diante e para trás, sem a menor dificuldade, sobre terreno acidentado e perigoso e algumas vezes com passos tâo rápidos que os espectadores não conseguiam acompanhá-las. Uma testemunha, a Srta. Ascencion de Luís, descreveu num relatório, com data de 18 de março de 1962. um desses "võos": "A partir da aldeia, subindo a rampa rochosa até o pequeno bosque de pinheiros que pendia na direcção da aldeia... A menina subia a rampa e descia novamente para trás numa velocidade incrível". Por vezes as jovens faziam lembrar aviões planando no ar, quando aparentemente sobrevoavam o terreno, de braços estendidos, tocando apenas o chão com as pontas dos pés.

 

Desde os primeiros dias das aparições, as meninas apresentavam à Virgem objectos religiosos para que Ela os beijasse, Istó foi sugerido por Nossa Senhora, e quando as pessoas disso tomaram conhecimento, numerosos terços, crucifixos, medalhas e alianças eram entregues às pequenas videntes. Tal era o acervo de objectos religiosos depositados sobre uma mesa para tal fim, que seria humanamente impossível para as jovens poderem devolvê-los aos próprios donos, sem equívocos. No entanto, quando em êxtase e guiadas por N. Senhora as meninas devolviam sempre as medalhas, alianças e outros numerosos objectos às pessoas certas. Muitos sacerdotes presenciaram os êxtases das meninas.